Alimentação natural para cães com insuficiência renal

Neste post discutiremos o que é insuficiência renal em cães, que sintomas apresenta, como devemos agir e que orientações e conselhos devemos seguir na alimentação de um cão com insuficiência renal.

A insuficiência renal é a incapacidade dos rins para remover toxinas e os resíduos de produtos do corpo. Esta doença é geralmente comum em cães mais velhos, mas também pode ocorrer em cães jovens, e pode estar associada a outras doenças como a hipertensão ou os diabetes.

Se o seu cão sofrer de insuficiência renal, é muito importante que siga uma alimentação natural apropriada. Se não tiver tempo suficiente para o preparar, há opções como AltuDog, cujos menus de arroz integral são completos e equilibrados, e adequados para cães com insuficiência renal.

Como posso saber se o meu cão tem insuficiência renal?

Se achar que o seu cão sofre de insuficiência renal, é importante que vá ao seu veterinário para estabelecer um diagnóstico correto e realizar as análises apropriadas ao seu cão.

Um dos sintomas mais comuns de insuficiência renal é a poliúria, ou seja, o seu cão urina com frequência.

Por outro lado, a insuficiência renal, como já indicámos, significa que os resíduos do corpo do cão não são eliminados corretamente e, como consequência, acumulam-se no sangue. Isto é conhecido como uremia, e os seus sintomas mais frequentes são a apatia, mudança de comportamento, depressão, perda de apetite e peso, pelo seco, hálito com cheiro a amoníaco, vómitos, úlceras na boca, e diarreia. Pode também causar desorientação e, portanto, movimentos descoordenados.

Nestes casos, é muito importante seguir o tratamento estabelecido pelo veterinário, bem como uma alimentação natural de qualidade.

Que diretrizes devo seguir ao alimentar o meu cão se ele tiver insuficiência renal?

Há muita controvérsia sobre a alimentação de cães com problemas renais, especialmente por causa do medo de rações com uma elevada percentagem de proteínas.

Lembre-se que o cão é um carnívoro e que a sua alimentação principal deve ser a carne. O mais importante é verificar qual é a fonte de onde vem essa proteína, não é o mesmo se ela for de origem vegetal ou animal. Muitos veterinários clínicos baseiam-se simplesmente em recomendar rações específicas para problemas renais ou rações com baixo teor de proteínas sem olhar para o conteúdo do rótulo ou, pior ainda, sem saber como interpretá-lo… O mais importante nestes casos é que a proteína que damos ao cão tenha um alto valor biológico, porque se fornecermos proteína vegetal, o cão não a digere bem e estaremos a fazer com que o seu rim e fígado funcionem mais do que o necessário para poder eliminá-la, o que agravaria o problema.

O nosso conselho é alternar diferentes tipos de alimentos naturais, nesse sentido, começar com o menu de peru AltuDog com arroz integral e depois alternar entre as variedades de carne de vaca Wagyu, galinha, porco… com arroz integral. Quanto mais variada for a alimentação, melhor.

Nenhum dos nossos produtos levou fósforo adicionado, o fósforo na análise nutricional é fornecido naturalmente pela carne.

As vantagens de uma alimentação natural sobre as bolas de ração:

  • Fortalece o sistema imunitário uma vez que todos os ingredientes que contém são naturais, e não subprodutos ou farinhas.
  • Fornece proteínas de alto valor biológico e biodisponibilidade, uma vez que são proteínas de origem animal.
  • Melhora os processos inflamatórios e lesões cutâneas devido ao seu elevado teor de ómega 3 através do salmão e da gordura insaturada de Wagyu.
  • Rico em antioxidantes naturais de frutas e vegetais.
  • Uma alimentação apetitosa, que fará com que o seu cão não perca o desejo de comer.
  • A alimentação húmida, manterá o cão hidratado, muito importante para a atividade dos rins.

Finalmente, o seu veterinário irá provavelmente recomendar a divisão da sua ração diária em mais de 2 ou 3 tomadas, de modo a não forçar demasiado os seus rins.

Que diretrizes devo seguir na alimentação do meu cão se ele tiver pedras nos rins?

Deve-se lembrar que o cão é um carnívoro e que o ingrediente principal da alimentação deve ser a carne. A maioria das rações no mercado específicas para cristais da vesícula (Royal Canin, Hills, etc.) inclui doses elevadas de hidratos de carbono, quer em cereais ou leguminosas.

As pedras ou cristais de estruvita, oxalato, cálcio… são as mais frequentes. As variações na acidez da urina são um fator chave na formação deste tipo de pedras, e para tal, a alimentação, bem como uma correta antibioterapia, são básicas.

Magnésio, amónio e fosfato são os três elementos chave na formação deste tipo de pedras, e são mesmo referidos como pedras MAP (siglas em inglês). Quanto maior for a concentração, maiores serão as possibilidades da sua formação. 

Estamos a falar de cálculos biliares que são formados na vesícula. Quanto mais água o cão ingere, mais aguado fica o meio da bexiga e isto contribui para a sua dissolução ou impede a sua formação. As alimentações caseiras têm um elevado teor de água (70 a 80%) enquanto os alimentos comerciais mal chegam a 10% de humidade. Este fator é muito importante porque com alimentações caseiras ou alimentações naturais como AltuDog, garantimos a ingestão – de forma indireta – de água por parte do cão.

Alimentações com quantidades moderadas de proteínas e baixas quantidades de fósforo e magnésio reduzem a ureia, o fosfato e o magnésio na urina e, portanto, as hipóteses de formação destas pedras.

A acidez, conhecida como pH, é um fator chave na formação das pedras. Quanto mais ácida for a urina (pH inferior a 7), menores são as hipóteses de formação de pedras, mas não só isso, também este meio ácido ajuda na dissolução das pedras formadas. Portanto, tanto as alimentações naturais como os menus AltuDog com um elevado teor de carne garantem que mantemos este pH ácido.

Os cães com urina alcalina aumentam as hipóteses de desenvolvimento de pedras, o que é frequentemente o caso das rações comerciais com elevado teor de carboidratos.

Antibióticos: este ponto é fundamental e deve ser muito claro: é necessário uma infecção para a formação de pedras. Como consequência, podemos deduzir duas coisas fundamentais:

  1. As hipóteses de evitar ou destruir as pedras com uma alimentação adequada mas SEM antibioterapia, são praticamente impossíveis.
  2. O sucesso na terapia é muito elevado se for aplicada uma terapia antibiótica adequada e se forem fornecidas alimentações naturais (com elevado teor de água) apropriadas para combater este tipo de pedras.

Que diretrizes devo seguir para a alimentação do meu cão se ele tiver oxalato na bexiga ou creatinina elevada?

Normalmente os veterinários clínicos não compreendem a alimentação, trata-se de um ramo específico como na medicina humana. Baseiam-se simplesmente nas recomendações das rações do fabricante.

O cão é um carnívoro e como tal deve comer proteínas animais, não vegetais.

Muitas das rações renais fornecem níveis mais baixos de proteína, mas essa proteína é de origem vegetal que o cão não digere e estamos a fazer com que o seu rim trabalhe mais do que o necessário para a eliminar.

Por outro lado, são alimentações muito secas, o cão precisa de dietas mais húmidas para uma atividade renal correta.

Com alimentação natural, são fornecidos alimentos com proteínas de origem animal e de alto valor biológico, isto significa que é mais digerível. Por outro lado, a quantidade a dar é inferior à das alimentações renais, pelo que a ingestão diária total de proteínas é muito semelhante, embora sejam alimentações proteicas mais elevadas, com a vantagem de serem mais assimiláveis.

Neste sentido, qualquer um dos nossos menus com arroz integral é recomendado para estes casos, uma vez que contêm proteínas animais de alto valor biológico, e portanto mais assimiláveis, e sendo alimentos hidratados, estamos a fornecer água para ajudar o bom funcionamento do sistema renal.

Alimentos a evitar para cães com insuficiência renal

Quando o nosso cão sofre de insuficiência renal, devemos evitar todos aqueles alimentos que têm um elevado teor de fósforo. Aqui estão alguns exemplos:

  • Sal. O sal não é adequado para o seu cão, especialmente se ele sofrer de insuficiência renal. O seu organismo é incapaz de o eliminar e a sua acumulação causa retenção de líquidos. Também podem formar-se edemas, aumentando a carga de trabalho sobre o coração. Isto pode levar a problemas cardíacos. Além disso, o sal aumenta a quantidade de proteína excretada na urina, contribuindo para a deterioração do funcionamento dos rins.
  • Ossos. Consulte o seu veterinário, poderá ter de os eliminar completamente da sua alimentação, uma vez que são ricos em fósforo e outros minerais, pelo que não são muito adequados se os rins do seu cão não estiverem a funcionar corretamente.
  • Óleos vegetais. 
  • Alimentos ricos em fósforo. Deve-se evitar estes alimentos, pois o seu elevado teor de fósforo é prejudicial para um cão com insuficiência renal:
    • Produtos lácteos.
    • Ossos.
    • Fígado.
    • Peixe azul.
    • Leguminosas.

Alimentos recomendados para cães com insuficiência renal

Os alimentos ricos em fósforo não são recomendados para um cão com insuficiência renal. Neste sentido, uma alimentação natural será sempre mais baixa em fósforo do que qualquer ração ou bolas.

O fósforo é um mineral essencial para a saúde do seu cão. Juntamente com o cálcio, contribui para o desenvolvimento de ossos fortes. Mas se os rins não estiverem a funcionar corretamente, o fósforo extra não será removido e acumular-se-á no sangue. Esta é uma causa de risco cardiovascular, para além de formar depósitos. Portanto, em caso de insuficiência renal, o seu consumo deve ser reduzido e controlado. Os alimentos com baixo teor de fósforo demonstraram retardar a progressão da doença renal em cães. O sódio também é prejudicial. É aconselhável reduzir a ingestão de sal do seu cão.

Mas deve o fósforo ser completamente eliminado da alimentação de um cão com insuficiência renal? 

Não, porque o fósforo é essencial para a estrutura celular e óssea do seu cão. Contudo, temos de controlar a quantidade de fósforo consumido pelo cão, porque se os rins não funcionarem corretamente, não serão capazes de metabolizá-lo e este irá acumular-se, causando depósitos e aumentando o risco cardiovascular.

Aqui estão alguns exemplos de alimentos com baixo teor de fósforo para cães com insuficiência renal:

 

  • Líquidos. Um cão com insuficiência renal precisa de beber muitos líquidos, pelo que se recomenda que a sua alimentação tenha um elevado teor de humidade e que tenha sempre água fresca e limpa disponível.
  • Gorduras: Em caso de insuficiência renal, a ingestão de gorduras de origem animal não é limitada. A quantidade de gordura que um cão deve consumir é calculada em função do seu peso e da sua atividade física. Se o seu cão tiver excesso de peso ou não estiver fisicamente ativo, deve fornecer uma quantidade moderada de gorduras. Se estiver em forma e ativo, pode aumentar a sua ingestão de gorduras, uma vez que é uma fonte saudável de energia e baixa em fósforo (mas alta em calorias). Se sofrer de pancreatite, deve moderar o consumo de gorduras.
  • Os alimentos ricos em ácidos gordos ómega 3 são altamente recomendados para cães com insuficiência renal. O óleo de peixe é uma excelente fonte de ómega 3, tal como os peixes, evitando as espinhas por causa do seu teor de fósforo. O peixe branco é o mais indicado uma vez que o peixe azul contém mais fósforo. Por esta mesma razão, devemos evitar o óleo de fígado de peixe.
  • Proteína. A proteína deve ser de origem animal e de alto valor biológico.
  • Frutas e legumes. Vegetais que contenham fibras, tais como cenouras, brócolos, abóboras ou aboborinhas, são recomendados. Frutos como maçãs, peras, pêssegos, melancias ou mangas são também recomendados. Os arandos são bons para combater infecções do trato urinário e para os rins. 
  • Alfalfa e algas marinhas. São boas para o seu cão, mas dê-lhes apenas uma ou duas vezes por semana, pois a alfafa é diurética e a alga marinha contém sódio.

Conclusões

  • Hidratação direta e indireta: um cão com problemas renais precisa de beber muito mais água para poder eliminar a mesma quantidade de toxinas que um cão saudável. Para além de uma alimentação rica em humidade, a água nunca deve estar fora do seu alcance. Tenha em mente que teremos de lhe dar mais oportunidades para urinar, fazendo mais caminhadas, mesmo que sejam mais curtas.
  • Comida húmida: ao contrário da ração seca, a comida caseira e a comida natural como AltuDog tem um maior teor de água, o que a torna mais benéfica para a saúde dos cães com insuficiência renal. É também considerado um alimento mais palatável, ou seja, mais apetecível, o que melhorará o seu estado de espírito.
  • Evitar o sal: embora nunca devamos oferecer alimentos com sal ao nosso cão, no caso de cães com insuficiência renal este é um condimento que deve ser totalmente restrito. Pode causar danos graves no seu organismo, tais como vómitos, diarreia, retenção de líquidos, sede excessiva, danos renais e intoxicação leve.
  • Proteínas de origem animal e de alta qualidade: em casos de doença renal, será essencial que as proteínas fornecidas sejam de alta qualidade.
  • Evitar o fósforo: tal como acontece com as proteínas, o fósforo danifica o rim e pode causar a acumulação de tecido cicatrizado. Devemos evitar o consumo de qualquer alimento que o contenha.
  • Aumentar o consumo de gorduras de origem animal: é muito comum que os cães com insuficiência renal sofram de falta de apetite, por isso é importante aumentar o consumo de gorduras de origem animal tanto quanto possível, de facto, tal como acontece com as proteínas, temos sempre de oferecer gordura saudável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.